A criminalidade tem crescido em várias cidades do Vale do Jequitinhonha, segundo a Polícia.

Onda de crimes se alastra pelo Vale do Jequitinhonha

O Mapa da Violência 2013 - Mortes Matadas por Armas de Fogo informa que 36.792 pessoas foram assassinadas a tiros em 2010, no Brasil. O número é superior aos 36.624 assassinatos anotados em 2009 e mantém o país com uma taxa de 20,4 homicídios por 100 mil habitantes, a oitava pior marca entre 100 nações com estatísticas consideradas relativamente confiáveis sobre o assunto.

No Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais, não é muito diferente.

Os níveis considerados toleráveis pela ONU - Organização das Nações Unidas giram em torno de 10 homicídios por 100 mil.

Em reportagem de Rosa Santos, no jornal Acontece Regional, de Capelinha, em 14.02, foi publicado um panorama das ocorrências de crimes diversos em cidades do Alto Jequitinhonha, de Minas Novas até Diamantina. A reportagem afirma que \"a violência já não é um problema dos grandes centros e avança nos municípios do interior. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social - SEDS, em dados publicados em 7 de fevereiro passado, houve um aumento de ocorrências de homicídios, roubo, estupro e sequestro, em 2013, com 87.995 registros. Em 2012, houve 71.737 ocorrências, correspondendo a um aumento de 22%

O Alto Jequitinhonha não escapou da bandidagem e na grande maioria das cidades as ocorrências aumentaram. E junto com a onda de violência cresce também a sensação de insegurança e reação da população. No dia 6 de fevereiro, moradores do bairro Maria Lúcia, em Capelinha, reagiram revoltados com dois assaltantes em uma farmácia. Eles foram perseguidos e um deles foi imobilizado por populares. A chegada da policia evitou um possível linchamento. Durante o assalto, aconteceu uma tentativa de homicídio. Um dos assaltantes atirou no proprietário da farmácia, mas os tiros mascaram. A polícia recuperou R$ 1.180,00 e um revólver calibre 22.
Mesmo assim, Capelinha tem visto ocorrências criminosas diminuírem em relação aos anos anteriores\".

No Alto Jequitinhonha, a cidade de Itamarandiba é uma das mais críticas, pois tem sido palco frequente de homicídios e tentativas de assassinatos. Itamarandiba registra um número crescente de homicídios. Em 2011, foram 3; em 2012 aconteceram 6; mas em 2013, foram 8 homicídios, ou 24,1 homicídios para 100 mil habitantes, taxa superior aos 23,5 do Rio de Janeiro. As tentativas de homicídios também cresceram de 16 para 20.

A população se mobilizou. Além de passeatas e reivindicações por mais segurança foi realizada uma audiência pública, na Câmara Municipal, em outubro do ano passado.

As cidades da região tiveram aumentado os registros de criminalidade violenta, entre 2012 e 2013. Capelinha teve 4 homicídios no ano passado, contra 2 em 2012. Porém, as tentativas de homicídios caíram de 17 para 9.

Em Carbonita, os homicídios foram 3 , em 2007. Nos três anos seguintes só houve 2. Mas, pulou de 2, em 2012, para 5 em 2013, o que equivale a 54,6 por 100 mil habitantes, índice altíssimo, o maior do Vale do Jequitinhonha, quase três vezes a média do Brasil. Carbonita possui 9.148 habitantes.

Em Minas Novas, foram 3 homicídios em 2012 e 4 em 2013. Em Turmalina, ficou estável com um homicídio em cada ano.

Já os roubos variaram de uma cidade para outra. Os dados de 2012 e 2013 mostram o seguinte: Capelinha aumentou de 22 para 29 ocorrências. Turmalina também aumentou de 3 para 7 roubos. Em Itamarandiba, diminuiu de 30 para 26. O mesmo aconteceu em Minas Novas, registrando 16 ocorrências em 2012 e 11 no ano anterior. Já em Diamantina, houve um salto com 33 roubos em 2012 e 53 no ano passado, com crescimento de 62%. No estado, o aumento de roubo foi de 28,8%.

O major Anderson Aguillar, que esteve no comando da 23ª Companhia Independente da Policia Militar, em Capelinha, destaca a ação de menores e o tráfico de drogas como principais fatores para o aumento dos índices de criminalidade na região. \" A droga é o fator número 1, o grande motivador dos crimes\", declara.

Cidadãos e empresários estão investindo em equipamentos de segurança para se protegerem de ação dos bandidos. O empresário Alex Tomich, do setor de segurança em Capelinha, informa que sua empresa tem sido cada vez mais procurada.

Fonte: Blog do Banu

Outras Notícias

Turismo rural gera renda para comunidades de Diamantina e municípios da região

O turismo rural incrementa a economia de 13 comunidades rurais e se consolida como mais uma fonte de renda para agric...

Inscrições abertas para o 3º Festival de História em Diamantina

Estão abertas as inscrições para a segunda etapa do fHist que acontece de 8 a 11 de outubro em Diamantina, Minas Gera...

Filme Sobre o Inconfidente Tiradentes é Gravado em Diamantina

Já começou a pré-produção do longa metragem de ficção “Um Certo Joaquim”, que vai mostrar quem foi Joaquim José da Si...

Rede Vale Circuito em Minas Gerais recebe o acompanhamento da Unisol Brasil

Mais um exemplo da agricultura familiar, aqui unida ao artesanato, que tem estruturado a vida de milhares de famílias...